Lei Geral de Proteção de Dados: como isso afeta o marketing digital?

Lei Geral de Proteção de Dados: como isso afeta o marketing digital?

Por ROI Mine

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é o assunto do momento. 

Esta exige que empresas de todo Brasil tenham mais cuidado com a segurança de dados. Quando se trata de marketing digital, a cautela deve redobrar! 

Basicamente, essa lei que entrará em vigor, nada mais é do que um severo conjunto de normas sobre o uso e proteção de dados para todos que coletam, armazenam, compartilham e tratam dados pessoais de terceiros, como de clientes, por exemplo. 

As agências de marketing digital usam bastante esses recursos para campanhas, email marketing e estratégias de SEO. Então saber do que essa lei se trata é essencial para evitar transtornos a quem trabalha neste segmento. 

Se você não está entendendo o que é a LGPD, como afeta o mercado de marketing e quais as novas normas referente ao uso de dados, não se preocupe! É um tema complexo que envolve diversas variáveis.

Fique atento, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre a Lei Geral de Proteção de Dados. 

O que é LGPD?

Muito se fala sobre essa lei, mas o conceito ainda está vago na cabeça de diversas pessoas. 

Então, para começar a entender como a LGPD afeta o marketing digital, é preciso deixar claro quais são as novas normas sobre o tema. 

Como dissemos, a Lei Geral de Proteção de Dados estabelece diversas regras para todos fazerem o uso dos dados pessoais de terceiros, independente da finalidade. 

De acordo a lei, nenhuma empresa poderá ter e tratar dados pessoais e sensíveis sem comunicação e o prévio consentimento do usuário e/ou cliente. 

Ou seja, o uso dessas informações não está proibido, a LGPD apenas visa regulamentar essa atividade. 

Afinal, o que são esses dados? Veja o que são os dados pessoais para evitá-los usar de forma errada: 

  • Nome;
  • Endereço;
  • E-mail;
  • Números de documentos;
  • Dados de cadastro;
  • Telefones.

Já os dados pessoais sensíveis são menos conhecidos. Mas o uso deles é recorrente, principalmente, em marketing digital. São as informações que revelam a raça ou etnia das pessoas, opiniões políticas, religião, sexo, dados bancários, entre outros.

Então, o uso de qualquer um destes dados se tornou proibido a não ser que haja a autorização do terceiro. Além disso, o cidadão terá o direito de saber para qual finalidade seus dados serão usados.

Em resumo, o uso dos dados deve ser feito com a autorização dos terceiros e, se envolver menores de idade, deve ser autorizado por responsáveis – sendo que o titular precisa estar apto para solicitar alterações, exclusões e complementações das informações.

Se houver o descumprimento da LGPD?

Assim como toda lei, se a LGDP for descumprida e as empresas continuarem usando os dados de forma incorreta, serão feitas punições legais. 

Então, as empresas que fazem o compartilhamento de dados de clientes com terceiros, compartilhamento de dados de colaboradores, ações de marketing, interações em APP, comunicação por whatsapp, precisam ter ainda mais cuidado.

Porque se houver um vazamento destes dados ou se a pessoa não tiver autorizado o uso deles, a empresa poderá sofrer penalidades administrativas, judiciais e reputacionais – como multas de até R$ 50 milhões, paralisação das atividades, entre outras punições.

É claro que o nível das punições e os valores das multas variam conforme a gravidade da situação.

Fiscalização

Um órgão de Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) será criado especialmente para fiscalizar a LGPD que estará ligado à presidência da república. 

ANPD ficará responsável por garantir a proteção dos dados e privacidade e aplicar sanções, caso a lei seja descumprida.

Como fica o marketing digital com a LGDP?

As empresas de marketing digital fazem o uso de dados diariamente em suas estratégias. Por exemplo, é um recurso importante para identificar o público de uma marca, entender a jornada de compra das pessoas, direcionar campanhas etc. 

Essas técnicas não deixarão de existir, precisarão apenas de adaptação. Como no caso para ampliar o número de possíveis clientes, os famosos leads, a autorização do uso dos dados deve estar explícita aos usuários ao preencher um formulário. 

O termo de política de privacidade também deve sofrer alterações. A partir da LGDP, este campo precisa ser simples, direto e compreensível a todos usuários. 

O campo onde a pessoa manifesta seu consentimento com os termos no site é obrigatório. 

O email marketing é muito usado e bastante eficiente nas estratégias de marketing.

Então, se você leu este conteúdo e logo pensou que teria que parar de usar este recurso, fique tranquilo. Este tipo de email pode continuar!

Mas assim como toda a coleta de informações, o usuário precisa ter consentimento e autorizar o envio de conteúdos para o seu email.

Poder do marketing de conteúdo em ação

O marketing de conteúdo não terá que mudar, mas é bom que os conteúdos sejam ainda mais atrativos. 

Isso porque agora os profissionais da área devem convencer os usuários a ceder dados.

Entre em Contato


Cadastre-se para receber
informações que te ajudarão
a se destacar no mercado